Pedido de Música

Os 33 maiores compositores brasileiros de todos os tempos - RadioBlackMusicBrasil

Últimas

Home Top Ads

Post Top Ads

sábado, 21 de agosto de 2021

Os 33 maiores compositores brasileiros de todos os tempos

 Alguns compositores brasileiros fizeram tanto sucesso que estão na cabeça e boca de todo mundo, independente do estilo da música! 

São muitas as personalidades importantes no meio musical, mas selecionamos 30 grandes compositores e compositoras brasileiras que fazem parte da nossa história. Os nomes estão apresentados por ordem cronológica.

1. Chiquinha Gonzaga (1847-1935)


Os 33 maiores compositores brasileiros de todos os tempos

Rebeca Fuks
Rebeca Fuks
Doutora em Estudos da Cultura

Alguns compositores brasileiros fizeram tanto sucesso que estão na cabeça e boca de todo mundo, independente do estilo da música! 

São muitas as personalidades importantes no meio musical, mas selecionamos 30 grandes compositores e compositoras brasileiras que fazem parte da nossa história. Os nomes estão apresentados por ordem cronológica.

1. Chiquinha Gonzaga (1847-1935)

Chiquinha Gonzaga

Pianista, compositora e maestrina, Chiquinha Gonzaga foi uma mulher muito a frente do seu tempo. Filha de um primeiro-tenente com uma mestiça, filha de escrava, Chiquinha enfrentou o preconceito desde cedo ao ser rejeitada pela família do pai. Mas mesmo assim nunca se abateu - a sua criação foi no meio das crianças burguesas, com o melhor que a educação de elite poderia oferecer.

Chiquinha ganhou de presente de casamento um piano, e foi nele que começou a compor valsas e polcas, contra a vontade do primeiro marido que o queria afastar da música. A moça acabou por se divorciar do pai dos seus filhos para seguir o seu sonho na música.

Francisca Edwiges Neves Gonzaga entrou no imaginário coletivo com a sua composição Ô abre alas, mas o seu trabalho foi muito além da criação da marchinha carnavalesca. Sabia que ela foi a primeira mulher a reger uma orquestra no Brasil?


2. Heitor Villa-Lobos (1887-1959) 

Heitor Villa-Lobos

Heitor Villa-Lobos nasceu no Rio de Janeiro e é considerado um dos precursores da música erudita brasileira. Seu pai também era músico, e desde criança Villa-Lobos se interessou por instrumentos, aprendendo a tocar violoncelo, clarinete e saxofone. 

Ao mesmo tempo que ouvia grandes nomes da música clássica, como Bach, o garoto se interessava também por ritmos brasileiros, principalmente os nordestinos. Foi assim que revolucionou a música instrumental nacional, misturando sons antes nunca testados. Hoje é, sem dúvida, um dos maiores compositores brasileiros da história, inclusive tendo fundado a Academia Brasileira de Música. 

 

3. Pixinguinha (1897-1973) 

Pixinguinha

O choro brasileiro deve muito a Pixinguinha, nome artístico de Alfredo da Rocha Viana Filho que nasceu no Rio de Janeiro.

Seu pai era flautista e com apenas treze anos o menino já compunha músicas. Com quinze, tornou-se músico pela orquestra do Teatro Rio Branco. Com o tempo o garoto fez parte de importantes grupos musicais da década de vinte, como o Caxangá, saiu em turnês internacionais e ganhou fama como um dos maiores músicos que o Brasil já teve.

Carinhoso, sua composição mais conhecida, é considerada uma das obras mais importantes da música popular brasileira. 


4. Ary Barroso (1903-1964) 

Ary Barroso

Sabia que Ary Barroso já foi até indicado ao Oscar de Melhor Canção Original? O compositor nascido em Minas Gerais é um dos expoentes do samba nacional. Compunha muitos sucessos interpretados por Carmem Miranda e ganhou a vida na juventude como pianista em bares e orquestras. 

Aquarela do Brasil, sua composição mais famosa, é uma música reconhecida internacionalmente e símbolo do samba-exaltação, estilo inaugurado por Ary, que ressaltava as qualidades do Brasil como um país plural. 


5. Cartola (1908-1980) 

Cartola

Há quem diga que o carioca Angenor de Oliveira, famoso Cartola, foi o maior sambista que o Brasil já teve. Além de compor e cantar, Cartola também era poeta e o violinista. Cavaquinho e violão estavam sempre com ele.

Cresceu no Morro da Mangueira, tendo fundado, inclusive, a escola de samba Estação Primeira de Mangueira quando tinha apenas 20 anos de idade. 

Era o clássico malandro boêmio que vivia no samba e bares cariocas. Na década de 30 compôs para grandes cantores, como Carmem Miranda, e só mais velho é que explodiu em carreira solo, com o seu primeiro disco gravado quando tinha 66 anos de idade. Continha os clássicos As Rosas não Falam e o O Mundo é um Moinho.


6. Noel Rosa (1910-1937)

Noel Rosa

Foram mais de trezentas as composições do Poeta da Vila, Noel Rosa. Isso porque ele viveu apenas 27 anos, morrendo vítima de uma tuberculose. Apesar de ter tentado a faculdade de medicina, logo abandonou o curso pela vida boêmia no bairro da Lapa no Rio de Janeiro, onde passava noites entre bares e cabarés. 

É considerado o homem responsável por levar o samba, originalmente do morro e das favelas, para o asfalto, e para as rádios nacionais. O que popularizou o estilo musical entre a classe média brasileira. Com que roupa eu vou? é uma de suas canções mais conhecidas e populares. 


7. Adoniran Barbosa (1910-1982)

Adoniran Barbosa

João Rubinato nasceu em Valinhos, interior de São Paulo. É considerado o pai do samba paulista, por popularizar o ritmo no estado. A sua carreira se fez com muita insistência do artista, que batia sempre às portas das rádios, e fazia participações em programas de calouros. 

Aproximadamente com 30 anos, Adoniran, pseudônimo que adotou, começou a trabalhar na rádio, como ator cômico, locutor e, posteriormente, teve espaço para suas gravações. Saudosa Maloca foi seu primeiro sucesso como compositor e Trem das Onze é até hoje um dos sambas paulistas mais famosos da história. 


8. Luiz Gonzaga (1912-1989)

Luiz Gonzaga

O baião, xote e xaxado, ritmos nordestinos hoje muito populares, devem muito a Luiz Gonzaga, pernambucano que espalhou tais ritmos por todo o Brasil. Chegou a ser militar na juventude, para fugir da família de uma moça com quem estava proibido de se envolver e, paralelamente, ganhava um dinheiro extra trocando sanfona pelos estados onde passava. 

Compunha principalmente melodias para as suas canções. Asa Branca e outras músicas famosas foram feitas em parceria com o advogado Humberto Teixeira, com quem trabalhou por cinco anos criando diversos hinos da música nordestina nacional. 


9. Vinicius de Moraes (1913-1980) 

Vinicius de Moraes

A música popular brasileira não seria mesma sem as composições de Vinicius de Moraes, o carioca que desde criança já fazia jus ao seu apelido de poetinha. Na adolescência fez parte do coral de uma igreja católica, onde criou a suas primeiras canções. 

Chegou a cursar direito, tentou a carreira política, publicou um livro de poemas, foi jornalista, dramaturgo. Mas foi no final da década de 50 que deslanchou como artista, compondo em parceria com Toquinho, Tom Jobim, João Gilberto, Chico Buarque, entre outros nomes.

Garota de Ipanema, Chega de Saudade e Eu Sei Que Vou Te Amar são algumas das músicas mais importantes da MPB compostas por Vinicius. 


10. Lupicínio Rodrigues (1914-1974)

Lupicínio Rodrigues

Lupicínio nasceu no berço de uma extensa família. Ele foi o primeiro filho homem entre os 21 descendentes do casal Francisco  (funcionário da Escola de Comércio) e de Abigail Rodrigues.

Aos doze anos começou a compor para blocos carnavalescos da sua região. O pai, com medo do destino boêmio do filho, tentou o afastar desse meio de todas as formas que pode - até o inscreveu no exército - mas felizmente não conseguiu obter sucesso em tal façanha.

Lupicínio cantou no conjunto musical dos soldados, continuou com as suas marchinhas e se inscreveu em uma série de concursos. Sua primeira vitória foi em 1935, quando ganhou um concurso da Rádio Farroupilha. O primeiro sucesso veio três anos mais tarde, em julho de 1938, com a gravação de Se acaso você chegasse.

Autor de clássicos da MPB como VingançaFelicidade e Nervos de aço, Lupicínio Rodrigues tem uma história de luta que merece ser conhecida.

11. Dorival Caymmi (1914-2008)

Dorival Caymmi

Lembra de Saudade de Itapoã? E do Samba da Bahia? E O que é que a baiana tem? Essas foram algumas das muitas criações que ficaram famosas do baiano Dorival Caymmi. 

Nascido em Salvador, filho de um funcionário público que tocava violão, piano e bandolim, Dorival deu os seus primeiros passos cantando no coro da igreja. Autodidata, aprendeu a tocar violão sozinho e em 1930 compôs a sua primeira canção: No sertão.

Apesar de ser cria da Bahia, foi no Rio de Janeiro que a sua carreira de fato decolou. Depois de se apresentar na Rádio Nacional cantando e tocando berimbau, foi contratado pela Rádio Tupi.

Com mais de vinte discos gravados, as suas composições ficaram famosas não só na sua voz como também na de muitos cantores parceiros. 


12. Dona Ivone Lara (1921-2018)

retrato de Dona Ivone Lara
crédito: Ariel Martini

Dona Ivone Lara foi uma sambista importante na história brasileira. Chamada de Rainha do Samba, ou ainda Grande Dama do Samba, se dedicou exclusivamente à carreira musical apenas depois de se aposentar, em 1977.

Dona Ivone se formou em enfermagem e realizou um trabalho importante na saúde mental, junto à psiquiatra Nise da Silveira.

Nasceu em 1922 no Rio de Janeiro, estudou música no colégio e aprendeu a tocar cavaquinho com o tio, Dionísio Bento da Silva. Ele participava de um grupo que reunia grandes nomes da música, como Pixinguinha e Donga.

A artista compôs músicas para escolas de samba e partidos-altos, que eram apresentados como se fossem de autoria de um primo, também compositor. Isso porque na época o preconceito era grande contra a mulher que se "atrevia" a escrever samba.

Foi apenas em 1978 que ela lança seu primeiro disco assinado com seu nome, Samba, Minha Verdade, Samba, Minha Raiz.

Dona Ivone Lara é autora de músicas de sucesso, como Sonho MeuAlguém Me Avisou e Sorriso Negro.

13. Tom Jobim (1927-1994)

Tom Jobim

Maestro, cantor, compositor, pianista, violinista e arranjador, ufa! Tom era de fato um homem de múltiplos talentos. Filho de um diplomata, desde cedo teve contato com a música porque nasceu no berço de uma família boêmia - sua avó, por exemplo, mandava bem no piano enquanto os tios davam conta de boas serestas.

Tom ainda tentou seguir uma carreira como arquiteto, mas acabou logo por desistir para se dedicar a tempo inteiro à música. Seus primeiros passos foram na noite carioca, onde começou a se apresentar em uma série de casas noturnas. Logo foi contratado por uma gravadora para fazer alguns arranjos.

Lembra daquela música Teresa da Praia? Foi o primeiro sucesso de Tom a emplacar e justo em homenagem à sua mulher, Teresa, que havia não por acaso conhecido na praia. 

Tom teve bons parceiros ao longo da vida como Vinicius de Moraes, João Gilberto e Chico Buarque. São dele os clássicos Garota de IpanemaSabiáChega de Saudade e Desafinado.

Gostou de conhecer um pouquinho dessa história? Então chega mais e leia a biografia 

14. Tom Zé (1936-)

Tom Zé

Dá para acreditar que esse baiano nascido em Irará, no recôncavo da Bahia, ganhou o prêmio máximo da loteria federal? Tom Zé nasceu numa família de classe média - seu pai era comerciante - e viu a vida mudar depois de arrebatar o prêmio.

O artista se formou pela Univerisadade de Música da Bahia, onde depois veio a dar aulas de Contraponto e Harmonia. Mas o professor Tom Zé ficou conhecido nacionalmente foi como compositor. Sua carreira começou no Teatro Castro Alves, depois de ter participado do espetáculo Nós, por exemplo, de Augusto Boal.

Tom Zé viu a cultura fervilhar no Brasil e também foi responsável pelo rebuliço: gravou o icônico disco Tropicália ou Panis et Circensis, participou de festivais de música, fez shows nacionais e internacionais.


15. Baden Powell (1937-2000)

Baden Powell

Amigo muito próximo do poetinha aqui de cima, Baden Powell assinou com Vinicius de Moraes uma série de parcerias musicais. Mas esse não foi seu único parceiro, Baden partilhou a sua paixão pela música com diversos amigos boêmios como Billy Blanco e Paulo César Pinheiro.

Nascido em Varre-Sai, no interior do Rio de Janeiro, quando tinha apenas alguns meses de vida o compositor se mudou para o Rio de Janeiro com a família. Filho de um músico amador, desde cedo teve contato com instrumentos musicais e aos 13 anos se inscreveu na Escola Nacional de Música. 

Sua carreira decolou a partir dos anos 50. Além de fazer enorme sucesso no Brasil, também conquistou as plateias mundo afora tendo feito apresentações nos Estados Unidos, na França, no Japão e em Portugal. 


16. Roberto Carlos (1941-)

Roberto Carlos

Nascido no Espírito Santo, Roberto Carlos Braga, ou o Rei Roberto Carlos, como é conhecido, é o músico de MPB que mais vendeu discos no Brasil. Passou pelo samba, bossa nova, rock, até o que conhecemos hoje, um compositor basicamente romântico. 

Roberto é um dos compositores mais regravados por artistas brasileiros e várias de suas canções, como Detalhes, Como Vai você e Emoções, estão entre as letras que qualquer brasileiro já cantou um dia. 


17. Erasmo Carlos (1941-)

erasmo carlos

O Tremendão, como foi apelidado carinhosamente Erasmo Carlos, nasceu na Tijuca, Zona Norte do Rio de Janeiro, e deu os primeiros passos na carreira musical durante a adolescência cantando rock and roll e bossa nova no Bar Divino. Foi lá que conheceu seu amigo Jorge Ben e também Tim Maia.

Ao lado de Tim e Roberto Carlos formaram um grupo amador, Os Sputiniks, que não duraram muito tempo, mas que deram alguma visibilidade para os artistas. Depois de encerrarem a parceria, cada artista seguiu sua carreira solo.

Ao lado de Roberto Carlos e da Wanderléa, Erasmo se destacou como um dos grandes nomes da Jovem Guarda. Sua história, cheia de altos e baixos, foi contada na biografia Minha fama de mau.

18. Gilberto Gil (1942-)

Gilberto Gil

O baiano Gilberto Gil é reconhecidamente um dos compositores mais icônicos no Brasil, tendo iniciado a sua carreira ainda com 20 anos de idade, cantando ao lado de nomes como Caetano Veloso, Tom Zé, Gal Costa e Maria Bethânia. 

O Tropicalismo, movimento que ajudou a criar na década de 70, foi um dos principais movimentos musicais brasileiros, criando canções inovadoras com a mistura de ritmos estadunidense, ingleses e brasileiros. Aquele Abraço é uma das composições que fazem do compositor uma lenda da MPB. 


19. Milton Nascimento (1942-) 

Milton Nascimento

O carioca Milton do Nascimento é um dos compositores nacionais de MPB com maior reputação mundial. Desde adolescente era apaixonado pela música, formando uma banda, "Clube da Esquina", com 21 anos de idade.

A carreira deslanchou depois que Elis Regina gravou Canção do Sal, seu primeiro sucesso. Maria, Maria e Canção da América estão entre as suas composições mais belas e famosas. Já recebeu cinco Grammy e outros inúmeros prêmios nacionais e internacionais. 

 

20. Caetano Veloso (1942-)

Caetano Veloso

Um dos maiores nomes do movimento tropicalista, Caetano é a voz por trás de clássicos como SozinhoVocê é linda e Mensagem de amor. Nascido em Santo Amaro da Purificação, na Bahia, Caetano viveu também no Rio de Janeiro e em Salvador.

Irmão de Maria Bethânia, os dois começaram a carreira cantando e tocando violão nos bares da capital baiana. Ao lado de Gal, Gil, da irmã e de Tom Zé, Caetano participou do show Nós, por exemplo. Também fez parte do Show Opinião, participou de uma série de festivais da canção e gravou uma sucessão de clássicos como Domingo e Alegria, Alegria.

O talento de Caetano vem atravessando gerações e até os dias de hoje o grande compositor emplaca clássicos cantados não só por ele como por amigos parceiros.


21. Paulinho da Viola (1942-)

Paulinho da Viola

Seria impossível pensar em samba e sem vir não logo a cabeça o nome de Paulinho da Viola. O carioca nascido em Botafogo é filho de violonista/integrante do grupo de choro Época de Ouro. Por isso Paulinho sempre cresceu com muita música em casa, tendo ouvido muito Pixinguinha e Jacob do Bandolim.

Autodidata no violão, Paulinho sempre teve gosto pela boemia e pelo carnaval. Seu primeiro samba foi gravado para a escola União de Jacarepaguá. Logo depois foi para a Portela, onde começou a se enturmar.

Apesar de ter se formado em contabilidade, Paulinho sempre viveu de música e para a música. Entre os seus maiores sucessos estão: Foi um rio que passou em minha vida14 anos e As rosas não falam.


22. Tim Maia (1942-1998) 

Tim Maia

Sebastião Rodrigues Maia nasceu no Rio de Janeiro e desde pequeno cantava no coral da igreja. Com apenas 15 anos, formou a banda "The Sputniks", cujo um dos integrantes era Roberto Carlos. Eles faziam pequenas apresentações, inclusive na TV.

Ao imigrar para o EUA, aos 17 anos, Sebastião tornou-se Tim e incorporou em seu repertório o soul, jazz e outros ritmos negros que estavam fervendo no início da década de 60. 

Foi assim que Tim Maia, voltando ao Brasil, tornou-se a principal voz do soul no país, e criador de algumas das canções icônicas que hoje compõem a MPB nacional, como Gostava Tanto de Você, Me Dê Motivos e Não Quero Dinheiro: Eu Só Quero Amar. 


23. Chico Buarque (1944-)

Chico Buarque

"Estava à toa na vida, o meu amor me chamou, pra ver a banda passar, cantando coisas de amor"... Chico Buarque de Holanda é o autor desse clássico e de tantos outros que marcaram a Música Popular Brasileira. 

Amigo de Tom Jobim, Toquinho, Vinicius de Moraes, Baden Powell, Caetano Veloso e Francis Hime ele fez uma série de canções que entraram para a história. 

Filho de uma pianista com um historiador, Chico começou a compor e a cantar com as irmãs. Se apresentou no programa Fino da Bossa, em 1964, apresentado por Elis Regina. Esse foi um dos primeiros pontapés da sua carreira.

Seguiu gravando disco, se apresentando e escrevendo. Dois anos mais tarde emplacou seu primeiro grande sucesso: A Banda. Cantada por Nara Leão a composição venceu o Festival de Música Popular Brasileira.

De lá para cá Chico não parou e continua enchendo nossos dias com belas canções. 


24. Maria Bethânia (1946-)

retrato de Maria Bethânia

Irmã mais nova de Caetano Veloso, Maria Bethânia é um talento à parte.

Nascida em 1946 em Santo Amaro, na Bahia, ela se mudou para o Rio de Janeiro na década de 60. Lá se aprofunda na carreira artística e musical e logo lança seu primeiro disco, chamado Maria Bethânia.

Construiu uma sólida trajetória, sendo reconhecida como a Abelha Rainha da MPB e sendo um sucesso de vendas de discos. Um de seus grandes sucessos é a canção Mel.

25. Belchior (1946-2017)

retrato de Belchior
Crédito: Fábio Dutra

Antônio Carlos Belchior, conhecido apenas como Belchior, foi um dos primeiros compositores cearenses a alcançar reconhecimento, inclusive internacional.

O álbum Alucinação, lançado em 1976, é o mais famoso do artista, sendo considerado por estudiosos como um dos maiores e mais contundentes da música brasileira. Seu potencial revolucionário e ao mesmo tempo poético atinge ainda hoje uma enorme quantidade de jovens.

Algumas músicas de sucesso de Belchior são: Apenas um rapaz Latino-americanoComo nossos paisVelha roupa colorida.

26. Aldir Blanc (1946-2020)

Aldir Blanc

Gosta daquela música O bêbado e a equilibrista, o hino da lei de anistia, cantada por Elis? Sabia que a composição é do Aldir Blanc feita em parceria com João Bosco? O cantor e compositor brasileiro nasceu no Rio de Janeiro, se formou em medicina e chegou a se especializar em psiquiatria, mas em 1973 largou a área médica para o alto e foi viver de música.

Seu primeiro sucesso foi no início dos anos 70, a canção Amigo é pra essas coisas foi feita ao lado de Silvio da Silva Jr. Depois vieram outras composições, como Ela, O mestre-sala dos mares e Dois pra lá, dois pra cá, gravadas por Elis Regina.  

27. Alceu Valença (1946-)

Alceu Valença

Um dos nomes mais importantes da MPB, o pernambucano Alceu Paiva Valença é um dos compositores nordestinos de maior sucesso no país. Possui indicações ao Grammy e importantes prêmios nacionais, como o Prêmio da Música Brasileira.

A sua maior contribuição para a música nacional foi a ideia inovadora de incorporar a guitarra elétrica aos sons nordestinos.  

Hoje, Alceu é um respeitado compositor brasileiro, criador de algumas das músicas mais famosas do país, como Tropicana, Girassol e Coração Bobo. 


28. Toquinho (1946-) 

Toquinho

Antonio Pecci Filho nasceu em São Paulo e tornou-se um dos maiores violinistas que o Brasil já viu. Além disso, possui mais de 100 composições feitas em parceria com outro grande artista, Vinicius de Moraes, de quem foi grande amigo. 

Mais conhecido pelos seus sucessos infantis, como a clássica Aquarela, Toquinho co-assina algumas das composições mais lindas e famosas da MPB, como Garota de Ipanema. Evoluiu como profissional ao lado de outros grandes nomes, como Elis Regina, Bossa Jazz Trio, Geraldo Cunha e Chico Buarque.


29. Djavan (1949-) 

Djavan

Nascido em Maceió, Djavan Caetano Viana saiu de sua cidade natal para tentar a carreira musical aos 23 anos de idade, com o que havia aprendido como amador. Teve a sorte de ser apresentado ao então presidente da Som Livre, que encantado com o talento do artista, conseguiu que ele cantasse algumas das famosas trilhas sonoras de novelas da Rede Globo. 

Então com pouco mais de 25 anos, Djavan passa também a compor e engata alguns dos hits dos anos 70, como Flor de Lis e Fato Consumado. Desde então não há como falar em MPB sem citar Djavan, o artista que influencia até hoje grandes sucessos nacionais. 

30. Rita Lee (1947-)

retrato de Rita Lee

Chamada de Rainha de Rock, Rita Lee construiu uma grande trajetória na música brasileira. Além de cantora e compositora, Rita é multi-instrumentista, atriz e escritora.

Começou integrando Os Mutantes, importante banda de rock que durou de 1966 a 1972, onde era cantora e letrista. Entre 1973 e 1978 participa da banda Tutti Frutti e posteriormente faz carreira solo.

Seu estilo musical passeia entre diversas vertentes, como o rock, o pop, MPB e bossa-nova. Com letras provocativas e bem-humoradas, Rita Lee se consagrou como uma das artistas mais bem sucedidas do país.

31. Cazuza (1958-1990)

Cazuza

Agenor de Miranda Araújo Neto nasceu no Rio de Janeiro em uma família de classe média e desde cedo teve contato com o mundo artístico através de seus pais. Começou a escrever poemas já na adolescência e seu primeiro trabalho foi na gravadora Som Livre, gravadora de seu pai, onde fazia  triagem de novos artistas. 

Junto com Roberto Frejat, na banda Barão Vermelho, Cazuza formou uma das maiores parcerias do rock brasileiro, compondo grandes hits como Pro Dia Nascer Feliz e Bete Balanço. Após Ideologia, Brasil e Faz Parte Do Meu Show são outras das mais de cem canções deixadas pelo artista para o cânone da MPB. 


32. Renato Russo (1960-1996)

Renato Russo

O músico Renato Manfredini Júnior nasceu no Rio de Janeiro e é um dos nomes mais importantes do rock brasileiro, tendo sido um sucesso total na década de 80, quando o ritmo explodiu com novas bandas no país. As influências do punk internacional inspiraram Renato na criação de sua primeira banda, o Aborto Elétrico.

A banda evoluiu para a Legião Urbana, até hoje uma referência para o rock nacional. Renato compôs grandes sucessos como Será, Eduardo e Mônica, Que País é Esse, Pais e Filhos, entre outros.


33. Marisa Monte (1967-)

Marisa Monte

Marisa é cantora, compositora, produtora musical e uma das queridinhas da MPB. Uma das grandes artistas contemporâneas, a carioca é filha do músico Carlos Monte, que pertence a diretoria cultural de samba da Portela.

Marisa foi, por isso, criada no meio do samba, de onde bebeu inúmeras referências musicais. Quando tinha 9 anos recebeu de presente uma bateria, aos 14 foi estudar canto e teoria musical. Ainda na adolescência se debruçou nas aulas de canto lírico, que a levaram para estudar na Itália. 

Para nossa sorte Marisa resolveu voltar e em 1987 começou a dar os primeiros passos na carreira incentivada por Nelson Motta. De lá pra cá a artista não parou, tendo criado individualmente e ao lado de amigos (quem não se lembra dos Tribalistas?)




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

Post Ads